Voltar à Página Inicial

O plantel 2009/10



O plantel do Belnenses para este ano, mais coisa menos coisa, é o que aqui se exibe no quadro ao lado, cuja imagem pode ser ampliada para melhor se entender o que lá está.

Digamos que é um plantel tendencionalmente para plantel assim-assim e não um plantel que os belenenses que viram o tal grande Belenenses ou são filhos de pais campeões nacionais, como é o meu caso, desejaria ter no Clube.

Certamente que num naipe de 28 jogadores que constam daquele quadro, alguns dos que lá estão, em especial os mais novos, poderá colocar-se a hipótese do seu empréstimo ou de haver ainda algum caso dse integração na futura equipa de juniores.

De facto, eu ainda sou do tempo do Matateu, quer na sua fase descendente na I Divisão, quer na sua fase de manutenção ao usar as cores do Amora em jogos em Vendas Novas.

Por maioria de razão, sou, também, do tempo de jogadores que não esquecemos nunca: Mladenov, Luís Reina, Paulo Monteiro, Dudu, Quaresma, Rodrigues, Murça, Macaé e por aí fora.

A minha maior preocuapção, reside no sector defensivo, muito embora acredite que o Arroz pode funcionar como antes se diz na imprensa brasileira que ele funcionava, ou seja, um bom central e que até marca golos. Veremos, porque a dupla com Carciano, Zarabi ou Ávalos foi ineficaz. Vejamos, agora com o reforço que falta vi para aquele sector e com Devic, ao qual Jesus não deu oportunidades, como a outros.

Aliás, a não aposta nos miúdos é quase uma constante nos nossos treinadores, mais preferindo apostar no produto acabado, embora incerto, que na prata da casa.

No Belenenes, é fértil a debandada dos miúdos, embora alguns até cheguem a jogar uma vez ou outra e depois sucedem casos como o Carrasqueira ou o Gonçalo Brandão.

Os meus anseios pautam-se sempre, na área do futebol, em termos não só de um bom plantel, como na nova moda das SAD's, uma SAD devidamente blindada aos apetites da notícia fácil, um plantel que seja organizado e disciplinado, sendo que isso passa logo pela atitude dos jogadores perante a comunicação social, coisa essa, como vários outrosaspectos, em termos um regulamento apertado da disciplina em ser-se jogador do Belém.

E tanto quanto vou sabendo, felizmente que a nova era da SAD, traz-nos uma blindagem em relação à qual se duvida que até todos os membros da Direcção saibam o que lá se passa, mas isso são outras estórias.

Não é mais possível cada um falar de per si, como se responsabilizasse toda uma SAD.

Este ano, por efeitos da arma de destruição maciça que se deu pelo de Fernando Sequeira e seus muchachos em asociação com o inapto João Barbosa, o plantel que temos, é, a meu ver, o plantel possível e não o plantel que todos nós gostávamos de ter.

O tempo dos Matateus, dos Augustos Silvas, dos Vicentes e até, mais conteponâneamente dos Mauro Aires e Luís Gustavo, já lá vai e o facto é que o Belenenses não soube, em devido tempo, incorporar-se nas plataformas internacionais de colocação de jogadores, através das quais, na prática, os clubes passam a ser montras de jogadores, cabendo o grosso do lucro a essas empresas.

Cabal Ferreira deixou feito um trabalho de asociação à TRAFFIC, sem bem estamos lembrados, e que aqui pode ser consultado, empresa com sede nos Estados Unidos, salvo erro, Miami, e cujos resultados acabaram por não ver a luz do dia.

Pode ser que Miguel Ferreira reabilite este projecto.

Não conheço, porque não vi, os efeitos práticos da incorporação dos ex-juniopres na equipa do Belenenses.

O certo é que alguns deles vão ficar no plantel, pelo que o valor da SAD, caso tenhamos sorte e eles joguem de facto aquilo que patentearam nas épocas pasadas nos escalões mais jovens, diria que o valoir da SAD pode ser altamente rendibilizado.

Repito: caso haja sorte e bem precisamos dela, porque não havendo dinheiro para grandes contratações, também não é por aí, nem pelos empréstimos, alguns encapotados, que a SAD seja rendibilizada, apresentando resultados desportivos e financeiros interessantes.

Para mim, seria ouro sobre azul termos sorte na formação, atenta a forma encolhida em como a mesma se desenvolve nos poucos campos que o Restelo dispõe para o efeito.

E mais ouro sobre azul seria, se aliado aos resultados recomeçássemos a dar espectáculo.

É que aqueles miúdos deram espectáculo nos juniores e só não fomos apurados para a fase final, porque nos jogos mais importantes o factor arbitragem decidiu tudo para os lados da 2ª Circular, em especial no jogo contra os lampiões.

Etiquetas: , , ,




Enviar link por e-mail

Imprimir artigo

Voltar à Página Inicial


Weblog Commenting and 
Trackback by HaloScan.com eXTReMe Tracker